Gestante no Dentista

Muitas mulheres procuram tratamento odontológico e acabam não informando que estão grávidas. O cirurgião dentista tem que estar atento e na consulta de anamnese deixar claro para a paciente que informe quando estiver grávida pois a gestante é uma paciente que requer cuidados especiais.

Durante a gravidez a mulher passa por uma série de mudanças físicas. Alargamento dos quadris, aumento da parte inferior do abdome, relaxamento dos ligamentos da cintura pélvica e os seios aumentam de volume. A bexiga da mulher grávida acaba sendo mais pressionada aumentando a freqüência do ato de urinar. A pressão sobre o estômago estimula a gestante a se alimentar várias vezes ao dia e a ter muita azia. O diafragma é posicionado numa região mais superior, diminuindo o volume respiratório. Ficar deitada de costas acaba sendo mais desconfortável e pelo crescimento do feto ocorre uma pressão nos vasos sangüíneos abdominais.

Gestante: Procure seu dentista de confiança

Ocorrem também mudanças fisiológicas e até psicológicas importantes nesse período. Fica evidente que a paciente gestante deve ser tratada de forma diferenciada pelo cirurgião dentista.

O exame pre-Natal deve incluir um check-up odontológico pois um problema bucal que antes era simples pode se agravar ao longo dos meses. Existem lendas quanto ao enfraquecimento dos dentes por perda de cálcio durante a gestação e estudos já mostraram que isso não ocorre¹. A gestante devido as alterações hormonais pode ter uma resposta aumentada à placa bacteriana gerando a gengivíte gravídica que deve ser tratada com o procedimento básico periodontal e controle de fatores irritantes.

Quais os tratamentos que a gestante pode realizar no dentista?

Durante a gravidez, o dentista pode realizar todo tipo de tratamento essencial incluindo exodontias simples, tratamento periodontal básico, restaurações, tratamento de canal, próteses e etc. Se possível, tratamentos mais prolongados e extensos devem ser programados após a gestação.

O período ideal para o tratamento odontológico da gestante é o segundo trimestre. No primeiro trimestre normalmente a gestante sofre com indisposição, náuseas e enjôos. Nesta fase normalmente é necessário um maior repouso pois é o período da organogênese e maior incidência de abortos espontâneos.No terceiro trimestre a frequencia urinária aumenta, as pernas ficam mais inchadas e ficar deitada é desconfortável.

Duração das consultas e alguns cuidados:

O ideal é que as consultas sejam curtas e na segunda metade da manhã para evitar o enjôo matinal. O dentista também deve estar atento para que não coincidam os horários onde exista a presença de crianças doentes no consultório para evitar o contágio com doenças viróticas como rubéola, sarampo etc.. e evitar o atendimento quando o profissional e sua auxiliar estiverem com gripe.

Após a consulta é ideal que a paciente fique sentada ou deitada de lado por alguns minutos para evitar uma queda brusca de pressão arterial.

Grávida pode bater raio-X?

Sim, desde que o dentista siga os seguintes cuidados:

  • Avaliar a real necessidade do exame radiográfico;
  • Utilizar avental de chumbo;
  • Utilizar filmes ultra-rápidos;
  • Evitar erros durante a tomada radiográfica e no processamento do filme;

Qual anestésico local utilizar em gestantes?

Segundo a literatura consultada¹, a solução anestésica ideal para gestantes é:

Em casos de Urgências (dor e infecção) – Lidocaína 2% com epinefrina 1:100.000

Para pacientes com gestação normal, histórico de anemia, hipertensão controlada: Lidocaína 2% com epinefrina 1:100.000

O volume máximo de anestésico local recomendado é igual ao contido em 2 tubetes anestésicos, por sessão de atendimento.

Uso de analgésicos, anti-inflamatórios e antibióticos pela gestante:

É fundamental que se descubra a causa da dor e se busque remover a causa. Se houver a real necesidade de analgésico, o paracetamol é a droga de escolha para qualquer período de gestação. A aspirina e outros anti-inflamatórios não esteróides devem ser evitados.

Quando houver indicação da utilização de antibióticos, devemos optar pelas penicilinas nas dosagens habituais pois as mesmas não causam qualquer dano ao organismo materno e ao feto. Alérgicas a penicilina devem utilizar estearato de eritromicina.

Colega dentista, busque sempre ler e se atualizar sobre o atendimento a gestantes para passar segurança durante o atendimento e obter sucesso nos tratamentos.

Referências:

1 – Andrade ED. Terapêutica medicamentosa em odontologia. SãoPaulo: Artes Médicas; 2006

Você pode gostar...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *