O sucesso insatisfatório

3 Resultados

  1. Leandro Kieling disse:

    Buenas colega Gustavo. Concordo em gênero, número e grau, creia que na ortodontia as coisas são parecidas… Com relação à inspiração para o texto… rs, rs, rs…. Tal e qual! Abraço e sucesso.

  2. Eduardo A. Müller disse:

    Achei fantástico o artigo do Dr. Gustavo Belli, e nos leva a refletir a nossa profissão: sera que o nosso sucesso é o sucesso para o paciente???? Será que o que consideramos bom para o nosso paciente é o que ele realmente veio buscar??? O maior problema é que, num mundo onde a estética é excessivamente valorizada, e cirurgias estéticas são realizadas sem nenhuma preocupação com a verdadeira saúde dos pacientes, como vamos ter maneiras de medir o nosso sucesso?? Nem sempre as coisas são como deveriam ser, só que uma coisa e certa: esta na hora do dentista para de se “prostituir” E FAZER O QUE ELE REALMENTE ACHA CERTO. Nem sempre fazemos o que gostaríamos, mas sim o que dá pra fazer!!!! E lembre-se que o problema não fomos nós que criamos, mas somos obrigados a resolver!!! E´além disso, vem aquela famosa expectativa, muitas vezes irreal!!! Mas a vida é assim mesmo, não são todos os dias que chegamos em casa totalmente felizes com o resultado ds tratamentos, mas o importante é dormir com a consciência tranqüila de termos feito o melhor possível!!!!!

  3. Leo Augusto disse:

    Gostei do texto do Dr. Gustavo Belli!
    Já o convidei para escrever um artigo no Ortoblog também!

    Vou confessar que já deixei alguns pacientes em classe II ou III de canino por achar melhor a estética, desculpe-me os mais sensíveis.

    Pena que não podemos ser igual ao Dr. House…

    Grandes abraços aos colegas sulistas!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *