Boqueira ou Queilite Angular: O que é e como tratar

Boqueira ou queilite angular: tire suas dúvidas

A boqueira ou queilite angular é uma dermatose caracterizada por processo inflamatório localizada no ângulo da boca (canto da boca) de um dos lados ou em ambos. Apresenta-se como uma área edemaciada levemente, com descamação, erosão e fissuras.

É causada por uma infecção pelo fungo Candida albicans.

Os sintomas podem ser de secura ou ardência nos cantos da boca (potencializados quando do contato dessas áreas com alimentos ácidos), edema bem como a dor.

Boqueira ou Queilite Angular

Sinais característicos da lesão

 

COMO SURGE A BOQUEIRA OU QUEILITE ANGULAR?

É mais prevalente em idosos e imunossuprimidos, infectados pelo HIV, diabete mellitus bem como anemia.

Fatores que criam então um ambiente propício e úmido para o crescimento de micro-organismos nas comissuras labiais (cantos da boca) como:



  • Hábito de umedecer os lábios com a língua;
  • Chupar dedo;
  • Morder os cantos da boca;
  • Flacidez dos tecidos do canto da boca;

Normalmente no exame clínico de idosos o dentista observa algum tipo de alteração oclusal (perda de dimensão vertical) ou alterações nutricionais e imunológicas. Exames bacteriológicos e micológicos também podem ser solicitados.

queilite angular

A queilite é uma lesão característica de usuários de prótese total

FORMAS DE TRATAMENTO:

Em pacientes que utilizam próteses totais os fatores desencadeantes da patologia devem ser corrigidos mantendo-se a higiene e desinfecção das próteses. Já que são as fontes potenciais de contaminação essas ações são fundamentais. A aplicação de antimicóticos e antibióticos também pode ser utilizada. Em casos extremos é feita cirurgia plástica para elevar os ângulos da boca evitando o acumulo de saliva.

O tratamento com laser de baixa intensidade também pode ser utilizado. Ele é eficaz por exemplo na resolução de lesões intrabucais e melhora dos sintomas devido sua ação anti-inflamatória.

Assim, procure seu dentista para uma avaliação do seu caso. Somente com uma avaliação criteriosa o profissional consegue então estabelecer o tipo de queilite (actínica, glandular, esfoliativa por trauma, de contato ou alérgica e angular) e qual o tratamento ideal.

33 Comentários

  1. Ana Melo 22/11/2011
  2. Frank Botega 22/11/2011
  3. helena fatima zanette 07/01/2012
  4. Sabina 18/01/2012
  5. Samara 27/02/2012
  6. Frank Botega 27/02/2012
  7. Viviane Viana 08/03/2012
  8. Frank Botega 08/03/2012
  9. Fernanda Rabelo 08/04/2012
  10. Frank Botega 08/04/2012
  11. Moisés Tizotti 01/05/2012
  12. mauro júnior 04/05/2012
  13. Frank Botega 22/05/2012
  14. jobson 18/08/2012
  15. jobson 22/08/2012
  16. ailton henrique 26/10/2012
  17. paulyn dias 27/10/2012
  18. antonio de abreu 06/12/2012
  19. lohana 18/07/2013
  20. Frank Botega 22/07/2013
  21. olivia 28/07/2013
  22. olivia 28/07/2013
  23. olivia 28/07/2013
  24. Ana 24/08/2013
  25. camila 28/08/2013
  26. Abilon Cabilon 13/09/2013
  27. Patricia 13/09/2013
  28. Filipe 07/10/2013
  29. Thaynara 07/01/2014
  30. ariana 20/01/2014
  31. Leticia Albuquerque 07/03/2014
  32. emily brasil 26/04/2014

Faça sua pergunta

error: ODONTOBLOGIA - 2008 - 2018