Cementoblastoma: Qual o tratamento deste tumor?

O que é cementoblastoma?

Cementoblastoma é um tipo de tumor odontogênico benigno raro. É de origem mesenquimal afetando mais usualmente os ossos gnáticos. Segundo a classificação da OMS (Organização Mundial da Saúde) de 2005, foi definido como neoplasia benigna caracterizada pela formação de tecido similar à cemento aderido à raiz de um dente. Representa 0,8 a 2,6% de todos os tumores de origem odontogênica e atinge principalmente pacientes jovens. Alguns estudos demonstram uma idade média de 35 anos.

Cementoblastoma

Cementoblastoma juntamente com um dente

Características clínicas:

O crescimento é lento e ilimitado, causando expansão óssea sem destruição óssea ou assimetria facial por exemplo. A grande maioria dos casos acomete a mandíbula.

Pacientes desconfiam então que estão com algum problema devido ao:

  • Aumento de volume e dor intensa na região do dente relacionado.
  • Fratura mandibular (alguns casos, raros);
  • Parestesia do lábio inferior;

O dente em questão apresenta então:

  • Dor intensa à percussão vertical;
  • Vitalidade pulpar;

Quais as características radiográficas desta lesão?

Se apresenta como uma massa radiopaca ou de densidade mista com margens bem definidas circundadas por uma fina zona radiolúcida.

Quais as características histológicas dessa lesão?

Como mencionado anteriormente, o cementoblastoma é uma neoplasia formada por tecidos semelhantes ao cemento. Pode então, apresentar linhas reversas com padrão similar a doença de Paget. O tecido pode ser não mineralizado na periferia da massa tumoral ou em áreas de crescimento mais ativo.

O tumor se funde à raiz dental ocasionando a reabsorção da mesma. Consequentemente perde-se a lâmina dura e o espaço do ligamento periodontal acaba por ser obliterado.

Qual o tratamento para este tumor?

Existem diferentes tratamentos para o cementoblastoma como por exemplo:

  • Ressecção em bloco;
  • Extração do dente envolvido juntamente com o tumor;
  • Amputação da raiz e enucleação tumoral;
  • Curetagem da lesão sem a extração do dente / raiz envolvido;
  • Tratamento endodôntico associado à amputação radicular e remoção da lesão;

Alguns casos assintomáticos podem ser apenas periodicamente avaliados e tratados somente se existir alguma alteração clínica ou radiográfica por exemplo.

Dessa forma, é importante a visita semestral ao dentista para uma avaliação completa. Qualquer sinal de dor ou desconforto devem então ser reportadas ao seu dentista de confiança.

Referências:

Cementoblastoma: oito novos casos, revisão da literatura e considerações sobre melhor manejo clínico. Gouvêa, Adriele Ferreira; Mannarino, Francesco Salvatore; Silva, Alan Roger dos Santos; Jorge, Jacks; Vargas, Pablo Agustin; Lopes, Márcio Ajudarte. Rev. Assoc. Paul. Cir. Dent; 70(1): 88-94, jan.-mar. 2016.

 

Faça sua pergunta

error: ODONTOBLOGIA - 2008 - 2018