Clareamento dental: Verdades e Mitos

Clareamento dental: Verdades e Mitos

A busca por certos padrões de beleza faz com que o clareamento dental esteja sempre em evidência. Todas as pessoas buscam por um sorriso alinhado, sem imperfeições e principalmente branco. Por isso, os tratamentos estéticos na odontologia tem atraído pacientes para a realização dos clareamentos pois são técnicas simples e que apresentam resultados excelentes.

É fundamental que o paciente procure um profissional competente e principalmente atualizado. Existem muitos mitos quando se fala sobre clareamento dental. A ciência está em constante evolução e pesquisas científicas confiáveis acabam por derrubar muitos desses mitos.

Neste artigo vamos citar algumas verdades e mitos sobre o clareamento que você precisa saber antes de então investir no seu sorriso.

clareamento dental

Seguindo as recomendações do dentista os resultados são fantásticos!



Verdades sobre o clareamento dental:

  • É importante estar sem cáries e com a gengiva saudável;
  • Clareamento não é “para sempre”: Após o tratamento com seu dentista estar concluído é importante realizar as consultas de manutenção. Em alguns casos será necessário após alguns meses nova aplicação do gel clareador;
  • Clareamento pode dar sensibilidade nos dentes: Se você sentir sensibilidade nos dentes durante o tratamento saiba que é absolutamente normal e existem formas de amenizar;
  • É possível clarear dentes que se submeteram a tratamento de canal (dentes não vitalizados);
  • Existem diversas concentrações dos géis (%) que apenas o dentista pode definir qual a ideal para o caso;
  • As diferentes concentrações tem relação com a velocidade da ação clareadora. No fim, todas chegarão ao mesmo resultado;

Mais verdades…

  • Clareamento dental pode ser feito em consultório de dentista;
  • Clareamento pode ser feito em casa: (Com orientação do dentista e além disso com produtos recomendados);
  • É possível associar o tratamento no consultório e caseiro com ótimos resultados;
  • Muitos géis já possuem em sua composição substâncias que previnem a sensibilidade;
  • O gel pode irritar a gengiva. Por isso em caso de tratamento caseiro evite excessos de gel que possam escapar da moldeira e entrar em contato com a gengiva. Na aplicação em consultório esta irritação é mais rara devido ao isolamento dos dentes e da aplicação imediata de substâncias neutralizantes.
  • Clareamento caseiro tem longevidade maior;
  • Restaurações de resina composta e cerâmicas não sofrem ação dos géis de clareamento;
  • Utilizar produtos de procedência duvidosa podem afetar dentes e gengiva;
  • No tratamento caseiro é possível “dormir” utilizando as moldeiras;
  • O dente que é mais resistente ao clareamento e que pode não apresentar bons resultados é o afetado pelo uso do medicamento tetraciclina;
  • Os caninos são dentes muito mais saturados e podem assim necessitar de um pouco mais de tempo para clarear;
  • Pacientes com muitas retrações gengivais devem realizar o clareamento em consultório. Dessa forma o dentista consegue através de isolamento impedir que o gel alcance áreas de dentina exposta que geram sensibilidade.
  • Pacientes com hipersensibilidade dentinária devem fazer tratamento com dessensibilizantes antes de iniciar o clareamento;

Mitos

  • Aplicar bicarbonado de sódio nos dentes com escova. É mito pois o bicarbonato é um abrasivo que vai apenas remover placa bacteriana dando a falsa impressão de branqueamento. O bicarbonato não vai penetrar no esmalte e assim ter a ação química que os géis proporcionam.
  • Esfregar casca de banana, limão ou laranja nos dentes. Algumas destas frutas são extremamente ácidas e com a ação mecânica de esfregar vão acabar causando erosões (desgastes) e hipersensibilidade nos dentes com o tempo.
  • Escovar os dentes com carvão vegetal e vinagre: Como mencionamos anteriormente, o carvão é também um abrasivo que vai acabar desgastando o esmalte do dente;
  • Aplicar Cúrcuma. É mito pois não possui qualquer comprovação científica para sua utilização em clareamentos ou para substituir o uso de pastas de dente com flúor.
  • Aplicar Violeta Genciana: A violeta Genciana é comprovadamente um agente antisséptico e também utilizado para diversas finalidades MENOS clarear dente.
  • Clareamento enfraquece os dentes;
  • Pastas de dentes que prometem clarear: Existem no mercado uma infinidade de pastas de dente prometendo que os mesmos ficarão muito mais brancos. Não se deixe enganar: afinal somente a aplicação na concentração adequada e diretamente no esmalte, dos géis clareadores, que trarão resultados.

E mais mitos…

  • Laser, luz Led e luz do fotopolimerizador não melhoram o clareamento (portanto não podem ser considerados melhores que o caseiro). Alguns lasers de baixa potência podem servir como aceleradores e auxiliar na prevenção da sensibilidade. Se você optar pelo caseiro por ser mais barato fique tranquilo pois o resultado final será o mesmo.
  • Quem usa aparelho não pode clarear os dentes. É possível clarear os dentes usando aparelho mas em casos excepcionais. O mais recomendado é realizar então após finalizado o tratamento ortodôntico. Discuta assim a melhor forma com seu dentista.
  • As placas de clareamento dental são iguais a placas de bruxismo. É mito pois as placas de bruxismo são de acrílico (rígidas) e precisam ser constantemente ajustadas pelo dentista. A placa de clareamento é maleável e nesse sentido se o paciente faz o movimento de ranger os dentes ela facilmente vai se deformar não trazendo benefício algum.
  • Fumante não pode fazer clareamento dental;

E os alimentos e bebidas com corantes?

Existem muitos novos trabalhos científicos que mostram que o paciente NÃO precisa parar de consumir estes alimentos. Dessa forma, tomar café, vinho ou coca-cola não trazem prejuízos para o clareamento dos dentes durante o tratamento. Mais informações você pode obter assistindo a este vídeo.

Os estudos científicos podem ser lidos clicando nos links abaixo:

 

Nenhum Comentário

Faça sua pergunta

error: ODONTOBLOGIA - 2008 - 2018