Dente quebrado na raiz? E agora?

Os traumatismos dentários são comuns e afetam tanto o dente como os tecidos periodontais. O dente quebrado na raiz deve ser avaliado imediatamente para se evitar uma série de problemas.

Uma raiz pode quebrar não apenas por uma pancada. Dentes que possuem pinos intra radiculares, dentes com tratamento de canal ou amplamente restaurados devem sempre ser avaliados.

Dente quebrado na raiz

Este tipo de fratura de raiz pode ser horizontal, longitudinal, obliqua ou múltipla. É importante determinar radiograficamente a forma como a raiz do dente está quebrada.

Como fica um dente quebrado na raiz?

É possível que você observe alguns sinais e sintomas e repasse as informações para seu dentista. As fraturas radiculares fazem com que o dente apresente, por exemplo:

  • Ligeira extrusão (o dente aparenta estar “crescido” ou “mais para fora” do alvéolo);
  • Mobilidade anormal (ao tocar no dente, você sente que o mesmo se movimenta, bem diferente de como estava antes);
  • Sangramento ao redor da gengiva do dente afetado;
  • Dor à percussão (quanto se encosta no dente, você sente dor);
  • Bolsa periodontal e abcesso periodontal;

Os sintomas podem variar. Alguns pacientes podem não apresentar qualquer dor enquanto outros uma dor muito severa.

Ao observar qualquer um desses sintomas você deve imediatamente procurar seu dentista. Imediatamente um exame radiográfico deve ser solicitado para que seja constatada a fratura da raiz e planejar o melhor tratamento.

As fraturas oblíquas ou longitudinais são as mais difíceis de se observar radiograficamente.

Quais os tratamentos existentes?

O tratamento consiste em posicionar os fragmentos e estabiliza-los com uma contenção flexível por 4 semanas. Se a fratura for no terço cervical do dente poderá ser utilizada por até 4 meses.

O acompanhamento deve ser regular, pois em caso de necrose da polpa do dente o tratamento de canal deverá ser realizado. Mesmo com o tratamento de canal realizado, o prognóstico pode se tornar adverso.

Dentes com raiz “muito quebrada” infelizmente deverão ser extraídos. Portanto, dependendo da extensão e orientação da fratura o prognóstico não é favorável.

O melhor cenário é quando mesmo com a fratura o dente não apresenta mobilidade e ausência de sintomatologia dolorosa.

Alguns fatores contribuem para o bom prognóstico como:

  • O tempo entre o trauma e o atendimento;
  • Grau de deslocamento;
  • Mobilidade;
  • Local da fratura;
  • Período de contenção;
  • Estágio do desenvolvimento radicular;
  • Idade do paciente;

Fraturas são comuns

Os dentes anteriores (dentes da frente) são os mais comumente afetados por traumatismos. As principais causas são quedas da própria altura, acidentes automobilísticos ou acidentes em práticas esportivas. Por isso, é importante que a utilização de protetores bucais seja utilizada por praticantes de esportes de contato.

A raiz do dente quebra pois após o impacto (geralmente frontal) ocorrem zonas de compressão, estresse e cisalhamento formando uma linha de fratura.

O diagnóstico preciso é fundamental e é um grande desafio para o dentista. Assim, quando adequadamente planejado, o correto tratamento pode prevenir a perda de um dente e seus possíveis impactos sociais negativos.

Faça sua pergunta