Dor de dente na gravidez: O que fazer?

Dor de dente na gravidez

Muitas gestantes ficam preocupadas sobre a dor de dente na gravidez. Existe um temor gerado pela desinformação bem como a insegurança. Esta insegurança não se aplica somente às gestantes pois cirurgiões dentistas em muitos casos se sentem incapazes de tratar essas pacientes. Qual a solução, afinal?

Primeiramente é importante salientar, que é fundamental a consulta odontológica fazer parte do pré-natal. O corpo da mulher sofre diversas alterações durante essa fase com consequências diretas na saúde bucal.

Dor de dente na gravidez tem solução

O atendimento odontológico deve fazer parte do pré-natal

Os enjoos e vômitos aumentam a acidez da cavidade oral que dessa forma pode gerar erosões no esmalte. Alterações na taxa e tipo de colágeno produzidos na gengiva, níveis de estrogênio bem como a baixa higiene oral levam aos problemas gengivais.

Lesões como o granuloma piogênico (gravídico) também podem ocorrer.

A ingestão frequente de alimentos com açúcar e diminuição do fluxo salivar (xerostomia) aumentam assim as chances de cárie dentária.

Se estes fatores não forem então observados desde as primeiras semanas de gestação, a dor de dente na gravidez pode infelizmente ocorrer.

O que fazer em caso de dor?

Em caso de dor procure atendimento odontológico imediato. Existem soluções anestésicas (lidocaína) e medicamentos (Antibióticos bem como analgésicos como o paracetamol, entre outros) SEGUROS que podem ser administrados durante a gravidez.

Muitas vezes a dor pode ser resolvida apenas com tratamentos simples como restaurações, aberturas endodônticas ou até raspagens periodontais. Dessa forma, não é necessária a administração de medicamentos.

Evite a automedicação pois existem substâncias que podem trazer riscos para a gestante e o feto. Sim, os medicamentos passam para o feto através da placenta.

Grávida pode arrancar dente?

O dentista pode atender a gestante em qualquer trimestre da gestação. Procedimentos mais invasivos como a extração dentária devem ser realizadas preferencialmente no segundo trimestre. Nesse sentido, se a extração for possível de ser postergada (para após a gestação) essa é a conduta mais indicada.

Seguindo os protocolos e recomendações de substâncias anestésicas e medicamentosas a grávida pode arrancar dente, sim.

Grávida pode bater raio-x no dentista?

Muitas vezes o exame radiográfico é essencial para se fechar o diagnóstico e definir um tratamento em gestante. Nestes casos o exame radiográfico deve ser realizado seguindo algumas condutas:

  • Profissionais capacitados (evitar repetições);
  • Uso do avental de chumbo;
  • Uso do protetor de tireoide;
  • Redução do tempo de exposição;
  • Uso de filmes radiográficos ultrassensíveis (quando possível);

Desse modo fique tranquila. A gestante é exposta a uma dosagem consideravelmente menor do que a dose necessária para causar malformações. O feto recebe apenas 0,0001 mGy e ele pode receber até 50 mGy sem que sofra dano algum, segundo o National Council of Radiologic Protection and Measurements (ANDRADE, 2014).

Uma radiografia periapical por exemplo expõe o paciente a cerca de 0,01 milirad de radiação, sendo esta dose 40 vezes menor que a dose de radiação cósmica recebida diariamente.

Referências:

ANDRADE, E. D. Terapêutica Medicamentosa em Odontologia. 3ª.ed.Artes. Médicas. 2014.

Faça sua pergunta

error: ODONTOBLOGIA - 2008 - 2018