Estudo mostra que a Profilaxia Antibiótica pode não trazer benefícios ao paciente

É comum na clínica diária os dentistas prescreverem antibióticos antes de certos procedimentos odontológicos (profilaxia antibiótica) visando prevenir a temida Endocardite Infecciosa. Se você não sabe o que é endocardite infecciosa continue lendo. Se sabe pode pular o próximo parágrafo 😀 .

A endocardite infecciosa é uma alteração proliferativa do endocárdio, causada pela infecção de microorganismos, com alto índice de mortalidade ainda nos dias de hoje. Os principais fatores de risco da endocardite são as lesões do endocárdio, decorrentes de doenças congênitas ou adquiridas, que alteram a hemodinâmica do coração, causando turbulência e predispondo à deposição de plaquetas e de fibrina e subsequente colonização bacteriana. Esta colonização bacteriana forma vegetações, que ao se desprenderem do local de origem se diseminam por via sanguínea, podendo provocar septicemia ou acarretar um quadro de embolia pulmonar ou cerebral.

O estudo publicado no British Medical Journal revela que os pacientes com risco de endocardite infecciosa não estariam se beneficiando pela profilaxia antibiótica antes de procedimentos odontológicos.



No Reino Unido, desde 2008 os médicos e dentistas foram orientados a pararem de prescrever antibióticos para seus pacientes seguindo algumas orientações da American Hearth Association que indicava a profilaxia apenas para uma parcela mínima de pacientes com problemas cardíacos.

No trabalho, os pesquisadores tiveram acessos a dados sobre endocardite infecciosa na Inglaterra dos últimos 10 anos e puderam observar que antes e após as recomendações de 2008 não ocorreram mudanças nos casos de endocardite na população apesar de afirmarem que ensaios clínicos com pacientes de maior risco serão necessários para se obter uma resposta definitiva sobre os riscos ou benefícios da profilaxia antibiótica.

Para ler o artigo completo é só clicar aqui!

2 Comentários

  1. Alexandre Koga 19 de agosto de 2011
  2. kellen 21 de agosto de 2011

Faça sua pergunta